7.9.09

Um título pra dar moral

O Brasil conquistou neste domingo seu quarto título da Copa América de Basquete ao vencer, num jogo disputadíssimo, a seleção de Porto Rico por 61 a 60, em San Juan. É o primeiro título oficial do basquete brasileiro desde o ouro no Pan de 2007 (numa final contra os mesmos porto-riquenhos), e o primeiro do espanhol Moncho Monsalve no comando técnico da Seleção.

O título serve para dar moral à Seleção Brasileira, depois de uma década tão tumultuada, com brigas entre jogadores e dirigentes. Aos poucos, porém, os astros da NBA começam a voltar e a dar conta do recado. Ao mesmo tempo, nacionalmente, a nova liga faz a modalidade ter esperanças de um futuro melhor, com a revelação de novos talentos e a certeza de que as coisas, enfim, voltarão a funcionar.

Na preliminar, a Argentina ficou com o terceiro lugar, ao derrotar o Canadá por 88 a 73.

Um comentário:

Guilherme Scalzilli disse...

Habemus basquete

A seleção masculina venceu a Copa América de Porto Rico jogando contra os fortes anfitriões, numa final que maltratou cardíacos (não há esporte emocionante como o basquete). Foi torneio quase impecável, com apenas uma derrota. Mostramos personalidade, competência defensiva, disciplina tática e, principalmente, vontade. Para quem acompanhou os fiascos da gestão Grego, esse destruidor do basquete brasileiro, parece um milagre.
O técnico espanhol Moncho Monsalve transformou um catado de bolas murchas num grupo coeso e vibrante, que pode (ainda) não estar à altura dos melhores do mundo, mas pelo menos já procura jogar tudo que sabe. Moncho provou que o péssimo nível de nosso basquete era provocado por incompetência dos dirigentes e das equipes técnicas, não pela inaptidão congênita do brasileiro para o esporte, como querem alguns imbecis colonizados.
Cabe a imprensa e torcedores pressionar a nova direção da CBB para que Moncho continue no comando da seleção, com liberdade para continuar esse processo de modernização. Um bom resultado no Mundial da Turquia (2010) é imprescindível para coroar a ressurreição de nosso basquete.